Google+ Badge

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

BISPO INCITA FIÉIS À BOCA DE URNA POR CRIVELLA

RIO — Inflamado, o bispo Júnior Reis conduziu o culto da noite de quarta-feira, a quatro dias das eleições, na Catedral da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) de Nova Iguaçu, com ataques ao governador e candidato à reeleição Luiz Fernando Pezão (PMDB) e, na mesma medida, pedindo votos para o candidato ao governo pelo PRB, Marcelo Crivella. O líder incitou também os cerca de 300 fiéis presentes a realizarem boca de urna.
— O principado do inferno é que comanda o estado, por isso que o estado está nessa situação que está. Como o rapaz lá perguntou, cadê o... Como é que chama? O Amarildo, Pezão? Aí, o Pezão vai e ri. Então, você vê que eles ficam rindo porque eles são os principados do demônio, que atuam agora no governo, no presidencialismo — prega Júnior Reis, citando o debate promovido pela TV Globo com os principais candidatos ao governo do estado, na última terça-feira. Na ocasião, Pezão deu uma risada logo após a pergunta feita pelo candidato Tarcísio Motta (PSOL) sobre o sumiço do ajudante de pedreiro Amarildo Dias de Souza.
Com 800 mil habitantes, Nova Iguaçu é o quarto maior colégio eleitoral do Rio, é um dos mais fortes redutos eleitorais do senador e bispo licenciado da Iurd. Durante sua pregação, Júnior Reis conclamou os evangélicos para se reunirem domingo, às 9h30m, na catedral, para o grupo fazer boca de urna em favor dos candidatos da igreja, para, somente depois, irem votar. Ele pergunta:
— Quem vota no Centro? Quem vota em São João de Meriti e Belford Roxo? Lá, vocês também podem fazer boca de urna. Quarenta porcento da população não sabem em quem votar. É nessa indecisão que a gente vai fazer a diferença. Amém, gente?
E prossegue:
— Meu Deus, nesse domingo, principalmente às 9h30m, nós vamos receber a água consagrada e todos os bispos do Brasil. Vamos concentrar todas as nossas forças para amarrar todos os demônios que queiram atuar. Então, você, que está com a sua oferta de R$ 100, de R$ 50 ou de R$ 10, venha trazer aqui e lavar as suas mãos.
Em seguida, Júnior Reis afirma que Pezão comprará votos deliberadamente, de sábado para domingo: 

— É isso o que eles fazem na madrugada de sábado para domingo. Vocês sabem do que eu estou falando, não sabem? Voa dinheiro pelo céu, porque eles saem comprando os votos das pessoas. E o que não falta para o Pezão é dinheiro. A máquina está na mão dele. Então, eles vão sair distribuindo dinheiro de sábado para domingo. Uma senhora da igreja me procurou com R$ 50 na mão: “Bispo, o que que eu faço? Eu voto no cara ou não?”. Eu falei: “Você vai no altar, pede perdão e vota no nosso. Senão, a senhora está fazendo que nem Barrabás”. Quem entendeu?
Responsável por uma das maiores catedrais da Universal no Rio, o pastor Reis concluiu sua pregação com uma oratória inflamada em favor dos candidatos evangélicos:
— Agora é reta final, e a igreja precisa de vocês. Deus, nós não podemos perder! Amarra o principado chefe que atua no governo e está rindo agora! As nossas mãos, que são a mão de Deus, vão fazer a diferença! Nós vamos fazer a maior boca de urna do Rio e da nossa Igreja Universal. Por isso, meu Pai, abençoa o Crivella, 10! Abençoa a Rosângela, 1033, e o Benedito Alves, 15789. Amanhã o Crivella vai estar aqui às 10h.
PARA MP, INDÍCIO DE ABUSO DE PODER
A candidata Rosângela Gomes (PRB), citada por Júnior Reis, almeja uma cadeira na Câmara dos Deputados e é a principal cabo eleitoral do Crivella na Baixada Fluminense. Momentos antes de começar o último culto daquela noite, duas mulheres distribuíam na calçada em frente à catedral um jornal com prestação de contas de Rosângela e de Crivella, além de diversos santinhos.
Segundo o procurador eleitoral auxiliar Sidney Madruga, da Procuradoria Regional Eleitoral, houve diversas irregularidades na mesma noite. O magistrado afirma que, para o Ministério Público, o discurso do bispo em favor dos candidatos e a panfletagem na calçada da igreja são, juntos, um indício de abuso de poder político e econômico, que pode resultar na cassação de um eventual mandato dos candidatos beneficiados. Madruga lembra também que boca de urna é crime. (colaborou Rafaela Marinho)

fonte: o globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário